segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Pequena Morte


Depois de tantos anos eu decidi encarar
Aquilo que mais dilacerava meu peito
E fazia meu mundo desabar
Elaborei o que antes não entendia direito
E há muito só me fazia culpar

Eu só repetia cada vez mais a cena
Aproximando-me de quem podia me machucar
Eu que pensava ser só digna de pena
E que em ninguém poderia confiar

Não tenho como ser responsável
Pelo sofrimento que passei
A causa deste ato deplorável
É totalmente o contrário do que pensei

Cada sofrimento meu foi uma morte
Mas cada aprendizado é meu renascimento
Cada passagem dessa me tornou mais forte
E já sinto que chegou o meu momento
Basta de tanto tormento!


Raíssa Stèphanie

terça-feira, 6 de março de 2018

Porto Seguro


Foto: Margi Moss


Há um rio que corre em mim
E uma lenda que se contava assim
Se por amor eu me molhar
Em muitas mágoas poderia me afogar

Mas não ouvi, quis me arriscar
Você por certo já sabe onde isso foi dar
Eu sempre quis ouvir meu coração
Só não queria prestar toda a atenção

Eu só queria não poder esperar
Eu só queria feliz logo estar
Mas eu quis me jogar
Nem pude acreditar
Que eu poderia me afogar
Num poço sem fundo
Quase não pude me salvar

Ao rio não pedia licença
Só queria cobrar toda a presença
E depois de tanto me afogar
Já desejava não querer mais navegar

Só que na lenda não há só problemas
Havia meios de resolver o meu dilema
Para no amor poder mergulhar
Só me faltava aprender a nadar

Mas é que eu não estava a procurar
Mas é que eu não conseguia acreditar
Não posso me jogar
Mas posso confiar
Em você pude encontrar
Um porto seguro
Pra poder descansar


Letra e Música: Raíssa Stèphanie

27 de janeiro de 2018

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Triste ciclo


Eu queria encontrar meu espaço
Aliviar o cansaço
Refazer meu peito num florescer

Eu só consigo soluçar anseios
Quão grandes são os meu devaneios
E os traumas não consigo esquecer

Parece que me esforço à toa
E por mais que tudo me doa
Ainda tento vencer

Parece que não há fim nem começo
É sempre um ciclo de tropeços
Mas tento superar e crescer


Raíssa Stèphanie

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Tocando no assunto


Foram alguns anos de investimento
Para obter êxito em apenas um momento?
Falho sempre em preservar meu coração
Sanei enfim sua sedenta atenção
Virei, então, material de descarte?

Qual seria o receio em se permitir?
Houve procedência no sentir?
Veja só quem assume o papel de ser frio
E quem afinal entregou-se com brio
Toca-se a alma ou somente o corpo, destarte?


Raíssa Stèphanie