quinta-feira, 30 de outubro de 2008

A História de um Amor


Os dias confundem sem parar
E aqui não vejo o meu amor chegar
Tenho um segredo pra contar
Mas não sei se é hora certa pra falar

Eu não sei quando esse sofrimento vai acabar
Eu só nasci pra te amar
O amor que eu sinto realmente pode até me magoar
Eu penso até em te deixar

O que eu sinto por você é o que mais me faz sofrer
Eu passo dias, passo horas sempre a pensar

Foi uma grande confusão entre o amor e a paixão
Por alguém que eu nunca posso alcançar

A me entregar ao meu amor
Por ele me minha vida se transformou

Os dias insistem em passar
Eu fico dias a não ver você voltar
O meu segredo fui contar
E eu já sei que a este ponto vão espalhar

Desse jeito a minha vida vai acabar
Só porque eu fui me apaixonar
E até um certo ponto você vai se afastar
Eu não vou saber onde vai estar

O que fere o meu coração é esse amor, essa paixão
Eu fico triste, fico louca só a lamentar

Eu te amo e você não, eu quero entender essa paixão
Ainda guardo o meu coração só pra você

Até entender o seu amor
Só pra dizer o que é o amor

É a história de um amor...


Raíssa Stèphanie

-- # --

Pois é, eu contei o meu segredo.
Foi então que começou outras decepções e quatro anos de perseguição de uma menina aí. :x

*Essa música me lembra tristezas, mas ao mesmo tempo alegrias...
Foi a música mais cantada pelo pessoal da escola xD
Fez sucesso disk :P

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Eu Te Amo, Sim!



Estou distante de você
O grande amor que insisto em ter
E que hoje sinto grande falta

Do seu lado eu quero estar
Vivendo só a te amar
Mas com medo de demonstrar

Então tento esconder
O que eu sinto por você
Eu te quero sempre mais
Eu te quero só pra mim

Tento uma forma de esconder
O grande amor que insisto em ter
Não me magoe mais
Não me entristeça assim

Porque eu te amo, sim!

Eu fico triste a lamentar
Por não ver você a me procurar
Você é tudo na minha vida

Eu não quero mais sofrer
Mesmo que seja por você
Você é tudo em que eu pude sonhar

Então me peça pra voltar
Eu quis tanto te amar
Você é tudo pra mim
Não me entristeça assim

Não me canso de esperar
Pois tenho alguém para amar
Quero esse amor pra mim
Não quero sofrer assim

Por ter você em mim

Se o tempo passar
Continuarei a te esperar
Se ainda não puder voltar

O que eu quero lhe dizer
É o que eu sinto por você

Não me magoe mais
Não me entristeça assim

Por ter você em mim

Você pra sempre estará
Em minhas lembranças

Porque eu te amo, sim!


Raíssa Stèphanie


domingo, 26 de outubro de 2008

Eu Te Amo

Eu te amo, eu te amo muito mais
Do que outro alguém é capaz
E eu, nunca, nunca quero esquecer
O que hoje eu irei perder

Estou sofrendo com este amor
Volte pra mim, por favor
Eu não consigo disfarçar
O que esconde o meu olhar
Tenho saudades de você
Eu nunca quero perder
O tudo dessa vida
Que é sempre amar você

O ciúme que sempre vem a ocorrer
Não, não vou deixar acontecer
A saudade, amor, dentro de você
Não quero pensar em te esquecer

Estou sofrendo com este amor
Volte pra mim, por favor
Eu não consigo disfarçar
O que esconde o meu olhar
Tenho saudades de você
Eu nunca quero perder
O tudo dessa vida
Que é sempre amar você

Quero viajar, viajar no seu amor
Pra eu nunca mais sentir aquela dor

Quero viajar, viajar no seu amor
Pra eu nunca mais sentir aquela dor

Em que você me magoou
E nunca mais voltou
É só você voltar a me amar
Pra minha vida se ajeitar

Eu te amo é sempre
Há muitos anos, certamente
E uma mudança de repente
É o que mais me arrepende

Raíssa Stèphanie

-- # --

*Ah! Essa música... *.*
Apresentei esta música em 2003 no festival da escola - FEMCA (Festival Moderno da Canção).
Fui classificada em 1º lugar, categoria Paródia. Ganhei um violão que ainda nem sei tocar. ¬¬
Aiai essa é a segunda música que eu compus na minha vida. Mas eu a considero como a primeira. xD

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Amor: O sentimento mais puro e belo. Acreditemos nele.

Quantas vezes tive de chorar por dentro ou derramar uma lágrima fria e secamente.
Quantas vezes tive de esconder minha tristeza para que os outros não se aproveitassem dela.
Quantas vezes tive de me mostrar fria e sarcástica para não revelar que sou extremamente amorosa e carinhosa e assim machucar-me pela milésima vez.

*Por mais que eu não queira admitir. Eu ainda tenho um coração, ainda que esteja machucado. T.T

É... As decepções nos deixam assim...
Mas, mesmo por tudo o que já passei, ouso acreditar no amor, pois ele nos transforma, ele nos traz um bem inexplicável.
O amor não se resume apenas em beijos e carinhos, mas em apoio recíproco, contribuição afetiva, moral e intelectual ('haha não posso deixar de mencionar essa palavra, inteligência é tudo :P), companhe
irismo e lealdade.
Mas como encontrar esse tal de amor?
E como encontrar alguém que torne o meu amor recíproco?
Alguém que some comigo, que me ame, que me apoie, que faça tais coisas que eu muito sei fazer :)

Devido a tantas decepções que vivi, comecei a entender o quão raro é encontrar pessoas assim. Muitos só querem viver de beijos e amassos e depois deixar-nos com o coração em pedaços. Não espero nem quero prazer em pouco tempo. Almejo uma felicidade constante com alguém que tenha este mesmo interesse
.

Eu sinto falta do meu jeito de ser antigo, eu demonstrava carinho a todos, fazia de tudo para que todos a minha volta estivessem bem, mas depois percebi que não era bem assim, eu preciso primeiro cuidar de mim, buscar o meu bem-estar. Foi então que eu vi que preciso demonstrar afeto sim, mas não da maneira exagerada como eu estava fazendo nem mesmo para todas as pessoas, pois muitas vezes não vai ser recíproco.

É... Estou mais fria e sarcástica que antes, mas tentarei não agir assim com os que tanto amo e os que me amam, pois estes não mereceriam.


Tentarei demonstrar meu carinho novamente.

O amor é sentimento mais puro e belo. Acreditemos nele.
É ele que nos rege...
Que nos melhora... :)

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Declaração de Amor (Fernando Veríssimo)


Tentei dizer quanto te amava, aquela vez, baixinho
mas havia um grande berreiro, um enorme burburinho
e, pensado bem, o berçário não era o melhor lugar.

Você de fraldas, uma graça, e eu pelado lado a lado,
cada um recém-chegado, você sem saber ouvir, eu sem saber falar.

Tentei de novo, lembro bem, na escola.

Um PS no bilhete pedindo cola interceptado pela professora como um gavião.

Fui parar na sala da diretora e depois na rua
enquanto você, compreensivelmente, ficou na sua.

A vida é curta, longa é a paixão.
Numa festinha, ah, nossas festinhas, disse tudo:
"Eu te adoro, te venero, na tua frente fico mudo"
E você não disse nada. E você não disse nada.

Só mais tarde, de ressaca, atinei.
Cheio de amor e Cuba, me enganei e disse tudo para uma almofada.

Gravei, em vinte árvores, quarenta corações.
O teu nome, o meu, flechas e palpitações:

No mal-me-quer, bem-me-quer, dizimei jardins.

Resultado: sou persona pouco grata corrido a gritos de
"Mata! Mata!" por conservacionistas, ecólogos e afins.

Recorri, em desespero, ao gesto obsoleto:
"Se não me segurarem faço um soneto"
E não é que fiz, e até com boas rimas?
Você não leu, e nem sequer ficou sabendo.
Continuo inédito e por teu amor sofrendo
Mas fui premiado num concurso em Minas.

Comecei a escrever com pincel e piche num muro branco, o asseio que se lixe, todo o meu amor para a tua ciência.

Fui preso, aos socos, e fichado.

Dias e mais dias interrogado: era PC, PC do B ou alguma dissidência?

Te escrevi com lágrimas , sangue, suor e mel
(você devia ver o estado do papel)
uma carta longa, linda e passional.
De resposta nem uma carinha
nem um cartão, nem uma linha!
Vá se confiar no Correio Nacional.

Com uma serenata, sim, uma serenata como nos tempos da Cabocla Ingrata me declararia, respeitando a métrica.
Ardor, tenor, a calçada enluarada...
havia tudo sob a tua sacada
menos tomada pra guitarra elétrica.

Decidi, então, botar a maior banca no céu escrever com fumaça branca:
"Te amo, assinado.." e meu nome bem
legível.
Já tinha avião, coragem, brevê,
tudo para
impressionar você,
mas veio a crise, faltou o combustível.


Ontem você me emprestou seu ouvido e na discoteca,
em
meio do alarido, despejei meu coração.
Falei da devoção há anos entalada e você disse
"Não
escuto banda". Disse "eu não escuto nada".

Curta é a vida, longa é a paixão.
Na velhice, num asilo, lado a lado em meio a um silêncio
abençoado direi o que sinto, meu bem.
O meu único medo é que então empinando a orelha com a mão você me responda só: "Hein?"

domingo, 19 de outubro de 2008

É o amor


Através da escrita podemos transpor nossas idéias, sentimentos e momentos. Compor é assemelhar-se a um processo catártico... É revelar, de maneira subjetiva, momentos importantes que ocorrem em sua vida. Assim, posso contar as minhas Histórias de Amor.
Quem nunca se apaixonou? Quem nunca sentiu a maravilhosa sensação do que se é amar?
E as decepções? Quem já passou por elas? E quanto às indecisões? O amor é composto por sensações paradoxais as quais nos deixam passíveis de atitudes inesperadas.