segunda-feira, 8 de junho de 2009

"Siento que me dueles todavia aquí adentro"

Desculpem por não estar postando algo novo...
Ultimamente não venho adquirindo forças para isso...
Tempos ruins estão ocorrendo.
O amor está doendo estes tempos...

É tão difícil ter que cortar relações com quem você tanto ama...
Mas... Pois bem, talvez eu estaria pior se eu não tivesse tomado tal decisão. (Ou talvez não!)
Eu não sei o que está acontecendo comigo...

Sinto um aperto no coração estranho.
Sinto uma falta de ar estranha.

Sinto uma vontade enorme de mudar minha vida...
Mas não sinto prazer algum de fazê-lo.

Eu poderia estar pensando qualquer coisa cruel que a pessoa que eu amo possa ter feito contra mim...
Mas a única coisa que me vem à cabeça é ele dizendo: Você é linda!!!

Ah! Como eu o amo...
Amo!! Amoo!! E amo...
Com todas as forças eu amo...

Mas qualquer decisão que eu tomasse me machucaria...
Só não sei se a decisão que eu tomei, amenizou ao menos um pouco essa dor, ou a atenuou...

Tento forçar uma alegria... Totalmente falsa...
Tento forjar um sorriso que não é meu.
Tento arrancar de minha boca uma piada ou um comentário sarcástico... Nada disso é meu...
A única coisa que é minha é este amor...

Tento entrar na brincadeira dos outros...
Enquanto estes brincam com os meus sentimentos...
Enquanto cantam: "Cadê a Raíssa, eu não encontro a Raíssa. Eu não sou sonso. Troquei ela pelo Gaara. Troquei ela por um cosplay. Mas eu não sou gay."
E depois piadinhas e risadas começam e se prolongam.
Eu me forço a entrar neste jogo, mostrando-me ser forte ou fria.
Mas me machuco ainda mais.

É... O amor está doendo aqui dentro.
Estou sem rumo...
Estou sem chão...

Claro que tudo isto vai passar...
Mas eu não tenho ideia de quando isso irá acontecer...
E espero que aconteça logo...


"Voy a pedirte que no vuelvas más
Siento que me dueles todavia aquí
Adentro
Y que a tu edad sepas bién lo que es
Romperle el corazón a alguién así

(...)

La esperanza que me dió tu amor
No me la dió más nadie
Te juro, no miento"

Um comentário:

  1. Os indivíduos são responsáveis pelos seus próprios atos. Cabe-lhes, portanto, arcar com os efeitos decorrentes. Admite-se, igualmente, que haja influências e pressões de quem esteja ao redor. Entretanto, influências sobre decisões apenas ocorrem ostensivamente se permite-se que tanto ocorra. Necessária é a tomada de força e audacidade para garantir autonomia de escolha e de suporte de efeitos.

    "Look around, choose your own ground." Breathe - Pink Floyd

    ResponderExcluir

Comenta, vai... ._. O dedo não cai, não. xD