sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Era Só o Que Eu Queria


Eu só queria deslizar os meus finos dedos
Por entre os fios dos teus cabelos negros
Causar-te arrepios
Envolver-me em teus suspiros

Afagar tua solidão
Realizar teus sonhos, tua principal aspiração

Eu queria deitar em teus braços
Liberar minhas angústias, medos e desconfianças
Para enfim eu me sentir livre
Livre para amar e me entregar

Eu só queria...
Queria voltar a amar e ser feliz
(Se é que um dia eu o fui)


Raíssa Stèphanie

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

É Pedir Demais?



Como será amar?
Como será feliz estar?

A maioria das pessoas são tão superficiais
Não conhecem o amor de verdade
Acham que isso se reduz a aparências

Não! Nunca me amaram mesmo
Não passei de vitrine para mostrar que eles me possuem
Não! Mas não possuem!

E de que valeu amá-los?
De que valeram meus sacrifícios?
As noites (e dias) de choro?

De que valeu?
De que valeu?

Acho que por isso
Acabei não sabendo o que é o amor
Porque tudo o que passei foi ilusão
E agora me sinto mais só do que nunca

Nunca me amaram
Nunca se preocuparam
Só me olhavam
Me contemplavam

Não! Isso não é amor

E quando é que eu sentirei
A verdadeira alegria nos olhos do outro?
Um leve arrepio no corpo do outro?

Quando é que sentirei
A voz trêmula de saudade
Ao escutá-lo pelo telefone?

Quando é que ele estará
me esperando do lado de fora?
A surpreender-me e dizer:
Eu estou aqui, estava te esperando

Quando é que sentirei?
Quando é que amarei?
E muito mais...
Quando é que me amarão?
De verdade

Cansei do culto à aparência
Que eles fazem
Onde está o valor à essência?

Olhem para mim!
Esta sou eu
Não só de carne e osso
Mas de espírito e sentimento

Ser amada... De verdade...
É pedir demais?


Raíssa Stèphanie

domingo, 6 de dezembro de 2009

Porém...



Não era pra ser

E não foi
A chuva foi quem me avisou
E não irei desobedecer

Você quer voltar
Mas os tempos não voltam
Eu tento me afastar
Mas eu não me afasto

Você diz que vai cumprir a antiga promessa
De nunca sozinha me deixar
Mas de avançar na vida tenho pressa
Acho que nisso não irei mais acreditar

Quem sabe?
Eu sei? Você sabe?
Ninguém!

Em tudo entre nós existe um porém
Um porém a esperar que toda a expectativa se acabe
E que mais uma vez o nosso amor desabe

Raíssa Stèphanie

sábado, 5 de dezembro de 2009

(Des)Crença


É o que eu creio
Não haverá ninguém para me fazer
Mudar de ideia

Já desisti
Em muita coisa eu já descri
Não há no que crer

Não tenho mais planos
Nem sonhos
Nem em amar penso poder

Já se foram os tempos em que esperei por alguém
Já foram até os que procurei por alguém
Inflexível e corrosiva
É assim que estou

Já desejei ter um tempo especial
Com aquele que amo
Mas isso nem posso mais
Tempo agora poderei ter
Mas quem eu amo?

Nem a coisa amada sei definir
Então como o amor há de existir?
O desejo de amar e ser amada já não se tem
Então como posso ir além?


Raíssa Stèphanie