quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Pensée




O que esperar desta flor
Que começa a nascer?
Algo tão singelo e real
Que ainda nem consigo crer

Primavera que brota em meu peito
E não teme em crescer
Já há amor em meu jardim
E eu não consigo esconder


Raíssa Stèphanie

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Enfim




Encontro em seus olhos
Uma beleza que nunca vi antes
Sento em seu colo e mergulho em teu cafuné

Pensei que esse momento nunca chegaria
Uma névoa pesada há muito me cobria
E todos os dias era a mesma agonia
Os cacos de minh'alma todo o tempo emergiam

A dor do corpo nunca foi o meu martírio
As lembranças, as mentiras, as mágoas
Foram todas o meu maior estigma

Deixei registrado e anunciado
Que haveria forma sim de perdoar
Ver o outro seguir e sua felicidade cultivar

Mas meu coração entende sabiamente
Como também pode se curar
E mais uma vez ele palpita e sente
Quando você vem me acalentar

Parece tudo um sonho. Oh, céus!
Será que já é real o que há muito estive a buscar?
Estou envolvida em teus abraços
Enfim, consigo descansar


Raíssa Stèphanie


Escrevi este poema em 26 de julho, uma inspiração que veio em meio a uma sensação que eu ainda desconhecia. Não fiz pensando em alguém específico. Na verdade, fiz pensando em alguém que eu sentia que estava chegando. Pareceu-me que esta sensação era um anúncio do que estava para me acontecer.
E aconteceu... s2

quinta-feira, 14 de julho de 2016

O que aconteceu?




Índio
Se tu soubesses a dor que dilacera o meu peito
Afinal, o que é que aconteceu?

Se não fui nem por um segundo um desejo seu
Então por que me fez acreditar em tudo que me escreveu?

Eu não recebo um mísero sinal teu
Uma maldita explicação
Nem mesmo uma porcaria de adeus

Ó índio
O que aconteceu?

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Sinal




Letra: Raíssa Stèphanie
Música: Colors (Halsey)


Eu não consigo entender bem o que aconteceu
Foram quatro dias intensos, não posso esquecer
Havia acabado de desistir de encontrar
Algum amor pra mim e então você apareceu

Queria evitar que viesse me conhecer
Por medo em me envolver de novo assim
Mas você chegou mais perto e veio me guiar
Foi mais do que uma dança a me oferecer

E permanece aqui
Sua voz, seu cheiro, em meu pensar
Então caí na velha armadilha que é amar
Que me conduz
Que me conduz

E permanece aqui
O beijo, o toque, que faz suspirar
Eu não aguento, não tem jeito, eu vou me entregar
Só me seduz
Só me seduz

Eu sei que de esperanças não posso me embeber
Mas meu coração nunca soube como se conter
Ficou bem claro que o seu medo é deixar rolar
Uma história que por fim possa nos machucar

Então eu prometi que iria te entender
Mas será que faria o mesmo por mim?
Estou cansada de ter que só me magoar
Mas o meu sonho é ter você perto de mim

E permanece aqui
Sua voz, seu cheiro, em meu pensar
Então caí na velha armadilha que é amar
Que me conduz
Que me conduz

E permanece aqui
O beijo, o toque, que faz suspirar
Eu não aguento, não tem jeito, eu vou me entregar
Só me seduz
Só me seduz

Só não esqueça, sei que esperar é o melhor caminho
Mas é aquele que mais me dói, peço que quando pensar em mim
Me dê um sinal, talvez com isso eu consiga ao menos suportar

E permanece aqui
Sua voz, seu cheiro, em meu pensar
Então caí na velha armadilha que é amar
Que me conduz
Que me conduz

E permanece aqui
O beijo, o toque, que faz suspirar
Eu não aguento, não tem jeito, eu vou me entregar
Só me seduz
Só me seduz

E permanece aqui...
Que me conduz
E permanece aqui...
Só me seduz


Link para conhecer a música original:
https://www.youtube.com/watch?v=JGulAZnnTKA

quarta-feira, 27 de abril de 2016

(A)Mar




Deixo pra lá
Antes que eu me jogue no mar
De incertezas do meu coração

São ondas violentas
Tão frias, tão densas
Não quero me perder

Deixo pra lá?
Caudaloso (a)mar


Raíssa Stèphanie

domingo, 24 de abril de 2016

Lead sobre Você




Eu não sei como vai ser daqui para frente
Mas eu sei o que quero
E com quem eu quero

Talvez tudo fique bastante diferente
Mas sei o quanto quero
E te espero


Raíssa Stèphanie

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Espontâneo

Todos os poemas e todas as músicas que já escrevi na vida eu escrevi porque meus sentimentos transbordam de tal maneira que não consigo conter. Sempre fiz as coisas de coração e, ainda que eu tenha me machucado demais, não me arrependo, pois faço de corpo e alma. Tudo que já escrevi até hoje são fatos sobre mim, por isso o nome do meu blog é Histórias de Amor. Hoje, conhecendo o blog  ( Histórias com P. H. ) do meu mais novo amigo Lano Ribeiro, do qual agora sou super fã, eu descobri um poema belíssimo dele. Nunca na minha vida um poema me tocou tão fundo como esse. Nem meus poemas e minhas músicas disseram tanto sobre mim quanto este poema diz. Acho que a mensagem dele é que faltava para que eu achasse o caminho de volta para mim mesma. Nada acontece por acaso. Lano Ribeiro, só tenho a agradecer o carinho que está começando a crescer junto com esta amizade. Eu não esperava que alguém estivesse acompanhando com carinho as coisas que eu escrevo. Agora eu também sou sua fã. Muito obrigada! 


Emoticon heart
Eis aqui, o poema maravilhoso que me representa:

Espontâneo

Analisando tudo, só me restou as lembranças
Claro que com todos tive a esperança
Que um dia desse certo
Finalmente algo concreto
Mas por enquanto eu sonho
Sonho com esses amores platônicos
Que um dia me fizeram almejar a felicidade
Ainda que não fosse verdade
Eu sorri, eu chorei, eu amei
Aprendi, enfim
Que as vezes as máscaras são necessárias
Para um, eu fui a ingenuidade
Para outro, a Proteção
Para outro, ainda a Lealdade
E por último, fui Sedução
Me revesti de disfarces
Pra não transparecer
O meu eu tão transparente
E nessa festa de fantasias
Em meio a tantas máscaras
Eu fui um pouco de tudo
E um pouco de nada
Fui oferecer a quem nada queria
Um singelo presente
Nem chegaram abrir
Nem sequer o papel rasgaram
Na raiva
Fui arrancando uma por uma
Rasgando uma por uma
As máscaras que de nada me serviram
Mas ao tentar rasgar eu percebi
Na verdade não havia nada ali
Minha face limpa
Era eu o tempo todo
Eu fui ingenuidade, proteção
Lealdade e sedução
Mas só me encontrei
Quando deixei de ver o amor nos outros
E voltei a ver o amor em mim.

Paulo Herculano (Lano Ribeiro)

Se Você Soubesse...






Se você soubesse, seu moço,
Todas as dores que habitam em meu coração
Entenderia quão grande é meu esforço
Em tentar segurar sua mão
Mas saiba com sincera antecedência
Que não faço nada em vão

Se você soubesse, seu moço
O medo que eu tenho de novamente sofrer
Talvez pudesse me dar algum reforço
Em ver que o que passou não preciso mais temer

Talvez assim eu tenha a evidência
De que ainda tenho a chance de tornar a florescer


Raíssa Stèphanie

Eu Sinto Muito




"Eu sinto muito"
Não, não é um pedido de desculpas
É, sobre mim, uma constatação

Não me arrependo de ter sido tão sincera
Eu sempre vou transbordar no que sinto
Mas, sim, você falhou em me deixar à espera
De algo totalmente indistinto

"Eu sinto muito"
Sim, esse deveria ter sido seu pedido de desculpas
Mas você nem para isso tem coração

Nota mental:
Não se apaixonar por leoninos de exatas
E fim.

Nota emocional:
Já faz quatro meses e a nota mental não serviu de nada rs

Nota de considerações finais:
Tentar se conter e fingir que já foi superado.


Raíssa Stèphanie

sábado, 19 de março de 2016

A Contradição na Atração de Corpos

Primeiramente alguns esclarecimentos:
*Reflexões em meio a uma aula de Semântica e Pragmática e com contribuição de conceitos das aulas de Tópicos de Pesquisa, além de um flerte proposital com a área de Exatas :)
* -Miga, seje menas. -Não, eu não consigo evitar.




Eu sou o sentido conotativo
A hipérbole de sentimentos
E das metáforas do coração

Sou profundamente pragmática,
Além de prezar pelo qualitativo:
Preocupo-me quando o assunto envolve fatores humanos

Você é o sentido denotativo
Simples, seco e frio
E adepto do discurso indireto, aliás

Estritamente semântico,
Além de se aventurar apenas no quantitativo:
Na busca de resultados exatos

Ratificando e concluindo:
Não há concordância se não houve atração
O seu projeto de pesquisa em relacionamentos
Não alcança resultados positivos


Raíssa Stèphanie

Discordância Exata





É exato teu desinteresse
Vejo o tempo perdido
Do meu amor em pretérito imperfeito

Pergunto se foste frio e calculista
Pois, no fim das contas,
A tua resposta implícita
Deixou partido o meu coração

Infelizmente, não há concordância
Já que entre nós não houve atração

Adeus...


Raíssa Stèphanie

sábado, 27 de fevereiro de 2016

O Amor Chegou




Letra: Raíssa Stèphanie
Música: It hurts (2NE1)

Desde o momento em que te vi
Não consegui te esquecer
Fiquei sonhando em como eu iria te conhecer

Não soube como começar
Mas tive que me arriscar
Um sentimento assim sei que não posso ignorar

Como entender que o amor chegou?
São motivos tantos p’ra contar
Eu não aguentaria um momento sem te amar

Como acalmar meu coração?
Como conter no peito a sensação?
Quero te amar!

Não entendo, se o amor é algo bom
Então por que eu estou sofrendo tanto assim?
Será que você não sabe o quanto dói ter
Que esperar para te amar?

É inevitável meu coração
Estar começando a sofrer
Fica com medo de outra vez não merecer

Como muitas vezes já se partiu
Não sei como ele ainda não desistiu
Por que será que ainda insisto em me machucar?

Como eu faço para te alcançar?
Como fazer p’ra você acreditar
Que é sincero o que eu sinto aqui no peito a pulsar?

Será que você também está a sentir?
Ou nem sequer pensa em se permitir
De novo amar?

Não entendo, se o amor é algo bom
Então por que eu estou sofrendo tanto assim?
Será que você não sabe o quanto dói ter
Que esperar para te amar?

Eu só penso em estar sempre com você

Me embale nessa dança tão bonita que é o amor
Entrego minha mão e minha vida
Me ensine os passos que podem me levar
Até você, até seu coração
Me guie porque onde você estiver indo eu sempre vou

Onde você estiver indo eu sempre vou (x3)

Não entendo, não, eu não entendo
Se o amor é algo bom por que eu sofro tanto assim?
Será que você não sabe o quanto dói ter
Que esperar para te amar?

Para te amar? (Para te amar?)


Raíssa Stèphanie

Link para conhecer a música original:
https://www.youtube.com/watch?v=aUiMaz4BNKw

Vazio





Está doendo tanto
Não vai se sanar em prantos
Sinto um enorme vazio
Em meu peito, escuridão e frio

É tão complicado amar
Não é simplesmente querer um par
Esperar é um enorme martírio
Sinto-me adormecer em delírios

Dói até respirar
Quando é que este tormento vai acabar?
Sinto-me viva, meu coração voltou a bater
Mas estar sem você é como se eu estivesse a morrer


Raíssa Stèphanie

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Quero




Se eu quero?
É claro que sim
Só saiba que nunca tive coragem
De dizer tão rápido assim

Minhas vontades nunca foram tão claras
Minhas declarações diretas são tão raras

Mas o que sinto não quero deixar passar
Não mais
Então expresso o meu querer
O quanto eu puder
O quanto eu for capaz

Se eu quero?
Com toda a certeza
E se for preciso
Aposto todas as cartas na mesa

Se for pra tentar
Será sem medo de ser feliz
Se eu quero?
De corpo e de alma,
É tudo o que eu mais quis

E você?
Você quer?


Raíssa Stèphanie

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Sem jeito




Eu tô meio sem jeito
Em mim só vejo defeito
Mas quero criar coragem e mostrar
O que há de profundo em meu peito
E dizer que você é o eleito

Quisera eu poder me declarar
E ouvir de você um: Aceito!

Eu tô meio sem jeito
Queria que você fosse meu par
Mas só de pensar em dizer
Eu já fico toda sem ar

Mas se você me der um sinal
Eu juro que eu até ajeito
Essa profunda vergonha que é o meu mal
E acabo de vez com o meu medo

Mas eu nunca mereci algo assim
Ter em mim algum sonho satisfeito
Espero tanto receber um sim
Mas, eu juro, tô meio sem jeito


Raíssa Stèphanie

sábado, 2 de janeiro de 2016

Eu Vou Sofrer





Eu vou sofrer
Até o último instante desta noite
Quero morrer

Queria ao menos uma palavra
Um veredicto
Mas também não quero

Doeria de qualquer jeito
Esse amor sufoca tanto meu peito


Raíssa Stèphanie

(01/01/2016 00:55)

Dilacerado Coração




Não posso, não quero
Bagunçar sua vida

Se eu não agir
Até assim irão desconfiar
Reluto para que as lágrimas não caiam

É difícil te ter por perto
E não poder te abraçar
Me desculpe
Eu quero chorar

Não consigo te encarar
Dói muito até de pensar
Me desculpe
Eu quero chorar


Raíssa Stèphanie

(01/01/2016 00:48)

Ano Novo, Incertezas Novas




A incerteza desse amor
A incerteza desta noite
Eu não sei o que vai acontecer

Daqui pra frente
Só incertezas em minha mente
Sinto vontade de fugir novamente
Desculpe, vou me perder

Já te perdi


Raíssa Stèphanie

(01/01/2016 00:46)