segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Enfim




Encontro em seus olhos
Uma beleza que nunca vi antes
Sento em seu colo e mergulho em teu cafuné

Pensei que esse momento nunca chegaria
Uma névoa pesada há muito me cobria
E todos os dias era a mesma agonia
Os cacos de minh'alma todo o tempo emergiam

A dor do corpo nunca foi o meu martírio
As lembranças, as mentiras, as mágoas
Foram todas o meu maior estigma

Deixei registrado e anunciado
Que haveria forma sim de perdoar
Ver o outro seguir e sua felicidade cultivar

Mas meu coração entende sabiamente
Como também pode se curar
E mais uma vez ele palpita e sente
Quando você vem me acalentar

Parece tudo um sonho. Oh, céus!
Será que já é real o que há muito estive a buscar?
Estou envolvida em teus abraços
Enfim, consigo descansar


Raíssa Stèphanie


Escrevi este poema em 26 de julho, uma inspiração que veio em meio a uma sensação que eu ainda desconhecia. Não fiz pensando em alguém específico. Na verdade, fiz pensando em alguém que eu sentia que estava chegando. Pareceu-me que esta sensação era um anúncio do que estava para me acontecer.
E aconteceu... s2

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta, vai... ._. O dedo não cai, não. xD