sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Tocando no assunto


Foram alguns anos de investimento
Para obter êxito em apenas um momento?
Falho sempre em preservar meu coração
Sanei enfim sua sedenta atenção
Virei, então, material de descarte?

Qual seria o receio em se permitir?
Houve procedência no sentir?
Veja só quem assume o papel de ser frio
E quem afinal entregou-se com brio
Toca-se a alma ou somente o corpo, destarte?


Raíssa Stèphanie

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Um dia

Eu perdi meu brilho
Caí dos trilhos
O que eu mais queria era esquecer

De toda essa vida doida
Sobrevivo afoita
É tanta vontade de querer

Queria lavar minha alma
Encontrar a calma
Não sei se posso merecer

Quero me livrar desses encostos
Que agora só me causam desgostos
Um dia, livre irei ser

Raíssa Stèphanie


[29 de setembro de 2017]

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Tem que curtir os memes


O que dizer do teu cheiro?
Que no meu lençol ficou imantado
Aconchego que muito me serviu
Serei obrigada a dizer o nome teu?

Pois memeticamente sorrateiro
O verso final como uma luva me caiu
Afinal, este vai ser meu segredo marcado
Se quiserem tal resposta, eu direi que é Irineu

Oi. rs

Raíssa Stèphanie

sábado, 16 de setembro de 2017

E a dor se vai...


É a dor que aos poucos se vai
E não sinaliza mais emergência de você
Meu coração se preenche de algo inteiramente meu
E a cada dia vai deixando esse sonho de te querer

Por detrás de seus óculos
Vejo olhos ávidos por mudar o mundo
Mas que, infelizmente,
Nunca vai mudar o meu


Raíssa Stèphanie


[8 de junho de 2016]

Maré lançante

Fotografia por Floriano Lima

Sempre fui maré lançante, num transbordar de sentimentos
Hoje meu recipiente não se aguenta de tantas lágrimas
Cheio demais de amor, mas tão vazio de você

Tão logo que ele se quebre, continuarei a sentir sua falta
Mas espero que esse dilúvio passe logo
Para que passadas sejam essas águas e mágoas
E eu, enfim, seja capaz de esquecer você


Raíssa Stèphanie


[13 de março de 2016]

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Quando te vi


Eu me apaixonei pelos teus olhos
Senti uma coisa inexplicável quando te vi
Eu não sei o que vem depois disso
Nem sei como faço para te alcançar

Mas se eu senti é porque vale a pena
Não posso, nem quero ignorar
Não custa nada ser feliz


Raíssa Stèphanie


[20 de fevereiro de 2016]

Sim


Eu não posso voltar no tempo
Mas, se puder permitir, eu tento
Recompensar cada 'sim' não dito a você
Quando eu tive medo de não te merecer


Raíssa Stèphanie


[15 de setembro de 2015]

O jogo


Se você não sabe em que time joga
Eu que não irei perder meu tempo
E apostar meu sentimento
Em quem trata meu coração
Como uma bola, mero divertimento
No final das contas,
Só quem perde nesse jogo sou eu


Raíssa Stèphanie


[12 de junho de 2015]

Passou


Tudo tem seu tempo
Até que isso eu sei bem

Mas preste atenção, meu amor

Assim como o tempo passa
O amor pode passar também


Raíssa Stèphanie


[8 de junho de 2015]

Aceito


Aceito a condição de esperar
Respiro fundo e sigo em frente
Antes de tudo
Preciso organizar minha mente

Mas por dentro meu coração palpita
Chora, grita e sofre
A cada vez que lembro que você
Vai demorar para estar aqui

A cada momento desse eu morro
E isso acontece sempre


Raíssa Stéphanie


[28 de abril de 2015]

Permito-me


Esqueçam-se as mágoas
Virem-se as páginas
Permito-me a sentir

És tu que sabes todo
O meu começo, meio e fim
És tu que me fazes respirar
E suspirar, e ser feliz

Contigo fico nas nuvens
E me mantenho em pé
Com toda força pra vencer

Então que esse amor
Não mais se perca
Que a cada dia cresça
Pois sem ti não sei viver


Raíssa Stèphanie


[9 de dezembro de 2013]

Juremos


Sofri em cada gesto
Morri com teu protesto
Mas sei que também errei

Por não deixar meu amor manifesto
E pensar que não haveria progresso
Sem comedir o nosso querer

Quisemos sempre as mesmas coisas
Mas escondemos nossas forças
Um ao outro até esquecer

Do amor que tanto cultivamos
Que por orgulho e ledos enganos
Estávamos a desmerecer

Agora com as cartas na mesa postas
Juremos: nunca mais nos dar as costas
Pois já está mais do que na hora de amadurecer


Raíssa Stèphanie


[9 de dezembro de 2013]

Memorial do amor recolhido


Não há o que fazer com esta paixão tardia
Espero por tantos anos, meses e dias
Mas você já possui a vida feita
E por ti só errei, fui totalmente imperfeita
É compreensível teu desencanto por mim
Mas te esquecer nunca vai ser fácil assim


Raíssa Stèphanie


[25 de novembro de 2013]

Sina


Pois mesmo que de esperanças meu mundo tenha acabado
Sempre sonhei com você ao meu lado
Algo que nunca me veio acontecer

Nestes sonhos eu fico perdida
E quando acordo é sempre a mesma ferida
De faltar sempre este meu benquerer

Anos e anos de amores forjados
Foi covardia eu nunca ter me arriscado
Será que é minha sina viver sem você?


Raíssa Stèphanie


[2 de setembro de 2012]

Esperança


Perdido no tempo
Tão longas as distâncias
Mas não...
Não me esqueci de ti

Uma fagulha de esperança
Por não ter se esquecido de mim


Raíssa Stèphanie


[14 de maio de 2012]

Teu canto


Se você pudesse olhar nos meus olhos
Do mesmo jeito que você fez há alguns dias
Você me falaria?
Você me mostraria o que estava sentindo?
Você enxugaria as lágrimas que estavam caindo?
Só tua voz acalantou minha dor
Com o teu canto me envolveste no amor
Embala-me nesta tua melodia
Compartilha comigo o que se passa no teu dia


Raíssa Stèphanie


[14 de janeiro de 2012]

Não esqueço


Retirar do meu peito esta dor
Que se fez de um complicado e imperfeito amor
Sentimento que nem sei direito
Do que se fez seu fim ou até seu começo
Nem tive a oportunidade de descobrir se o mereço
Muito menos esquecer, esqueço


Raíssa Stèphanie


[15 de dezembro de 2011]

Águas de ilusões



Que meu amor ainda cause arrepios em ti
Mas que eu definitivamente coloque nisto um fim
Dói pensar que o possível não chegou perto
Que o amor vá embora e torne meu coração deserto
Perdeu-se o a meu amor no mar
Águas de ilusões em que me permiti afogar
Já quase tarda dezembro
E você nem pra voltar e me dar alento


Raíssa Stèphanie


[21 de novembro de 2011]

Sem medo


De nada adiantaria eu esconder meu coração
Por mais que eu tenha sempre me ferido
Aqui dentro sempre vai me pulsar a paixão
Diga-me que isto tem lá seu sentido
E que você ficará comigo
Sem medo de ser em vão


Raíssa Stèphanie


[8 de setembro de 2011]

Despedida


Olha em que altura você chegou
Me fez subir, me enlaçou
Criou uma quimera-oportunidade
Não deve ter pensado na gravidade
Destruiu meus planos

Menosprezou meus sentimentos
Me jogou num canto
Não pensou sequer um momento
Se isso não me machucaria

Caí neste abismo
Acabaste com os meus sonhos
Acabaste com os meus dias
Implantaste em mim o pior da dor

Da amizade, da confiança, do amor
Só me resta a despedida


Raíssa Stèphanie


 ---- ---- # ---- ---- # ---- ---- # ---- ---- # ---- ----


Despedida? Pro amor?

Das incríveis palavras retiro o amor, jogo-o sem medo num precipício e mesmo que inconsciente me atiro junto...! Da despedida, restam lembranças...

Das lembranças a dor da perda...

Da dor a Experiência...

E desta, só me resta o conhecimento de que este ser raquítico pulsa e perene implora a tua presença, amou com todas as forças!

A despedida de agora, pode ser pra sempre...

Pra sempre...

ATÉ MEU CORAÇÃO TE VER.

Kassia Modesto


 ---- ---- # ---- ---- # ---- ---- # ---- ---- # ---- ----


Despedida assim me propus
Não ao amor em si
Pois seria para mim a maior hipocrisia

Despedi-me daquele que há tantos anos amei
Mas que com descaso fui correspondida
Pelo sentimento que com tanta dedicação cultivei
Será que esta resposta eu merecia?

Foi cruel, foi sem medida
Só me fez abrir mais e mais as feridas


Raíssa Stèphanie


[1 de setembro de 2011]

Súplica




Eu não sou uma máquina
Não sou capaz de ignorar o que você faz comigo
Eu não sou perfeita
Mas dou tudo de mim pra ver se consigo

Tenho que sufocar esta dor maldita
Todo dia ela vem para me atormentar
É um exercício constante de perdão
É quase impossível, verdade seja dita

Não há verão que me aqueça
Desse frio que me gela e paralisa
E por mais que eu tente e implore: Esqueça
Eu já não sei o que posso fazer da minha vida

Tento viver, mas a dor está aqui
Tento esconder, mas as lágrimas sempre estão a surgir
Eu não me permito em uma mentira viver mais
Então lhe peço, por favor, deixe-me pra trás


Raíssa Stèphanie

sábado, 29 de abril de 2017

Circo de ilusões


Envolveste-me na figura de um palhaço
Diminuiu-se as distâncias ao aumentar nossos passos
Era o sonho mais lindo que eu poderia construir
Mas se desfez junto com o meu coração a se partir
Fez-me chorar a figura típica que só me faria rir
Fim de um espetáculo que só buscava me iludir

Raíssa Stèphanie

[21 de novembro de 2011]